top of page

Bispo excomunga ladrões que pisotearam a Eucaristia

O bispo de Salto, México, dom Hilario González García, expressou sua “tristeza e indignação” e declarou a excomunhão dos ladrões que roubaram vários objetos de uma igreja católica em Ciudad Frontera, no estado de Coahuila, jogaram no chão e pisaram na Eucaristia.

Em um comunicado divulgado na sexta-feira (7), o bispo mexicano disse que o roubo aconteceu na “madrugada” daquele dia, quando desconhecidos “entraram à força na igreja de Nossa Senhora das Dores”. É uma capela que está sob jurisdição da paróquia do Verbo Encarnado.

Dom González García disse que os ladrões “roubaram a oferta financeira que estava em um cofrinho e uma parte do equipamento de som”.

“Mas o mais grave, e ao mesmo tempo doloroso, é que se cometeu um ato sacrílego, uma vez que a Sagrada Eucaristia foi indevidamente retirada do sacrário, sendo atirada ao chão e pisada”.

O bispo declarou que é “um insulto ao lugar sagrado [o templo]; e um sacrilégio contra as Sagradas Espécies Eucarísticas”. Por isso, “quem o perpetrou, se for católico, cometeu um crime contra os sacramentos, e o mereceu, segundo a lei (cân. 1382 §1 – ​​CIC 2021/ cânon 1367 – CIC 1983), da excomunhão latae sententiae”, ou seja, automática.

“Como cabe, vou comunicá-lo ao dicastério para a Doutrina da Fé”, disse.

Dom González García recordou que, segundo o cânon 1.211 do Código de Direito Canônico, o direito da Igreja Católica, “nos lugares sagrados que foram molestados, o culto não pode ser exercido até que a lesão seja reparada por um rito penitencial ao teor do livros litúrgicos”.

O bispo nomeou o padre Néstor Daniel Martínez Sánchez como delegado para realizar o ato de reparação.

“Pela gravíssima ofensa cometida contra Nosso Senhor, convido todos os fiéis a se unirem em oração, realizando atos de reparação e promovendo o amor a Jesus Cristo na Eucaristia”, pediu o bispo.

“Da mesma forma, convido os fiéis e particularmente os párocos a cuidar com atenção da segurança dos lugares sagrados”, concluiu.

Este sacrilégio aconteceu apenas nove dias após o ocorrido na paróquia do santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, em Monclova, a poucos quilômetros de Ciudad Frontera, também no estado de Coahuila, onde desconhecidos roubaram o Santíssimo Sacramento. Na ocasião, o bispo González também declarou a excomunhão dos ladrões.

O que é excomunhão?

Segundo Enciclopédia Católica, a excomunhão é a pena “mais severa”, que “priva o cristão culpado de toda participação nas bênçãos comuns” da Igreja. Aquele que a recebe “não pode participar do culto público, nem receber o Corpo de Cristo ou qualquer dos sacramentos”.

Esta sanção é aplicada a “um delito gravíssimo”, diz a enciclopédia, embora enfatize que se trata de “uma pena medicinal em vez de vingativa, pois não se destina tanto a castigar o culpado, mas a corrigi-lo e trazê-lo de volta ao caminho da retidão”.

0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page