top of page

Casal de namorados católicos morre em ataque a tiros em escola

Rezemos pela alma desses dois jovens que souberam testemunhar seu amor a Cristo e à Igreja.

A paróquia Santa Antônio, de Cambé (PR), está “em luto pelas mortes violentas da jovem Karoline Verri Alves e ”. Ela foi morte na manhã de hoje (19), em um ataque ao colégio estadual Professora Helena Kolody, onde estudava. Ambos eram atuantes na Igreja, eram namorados e atuavam em grupos de oração e de jovens, afirmam as notas publicada nas redes sociais da paróquia.

O ataque aconteceu por volta das 9h, quando um ex-aluno da escola, de 21 anos, entrou no colégio alegando que precisava de uma cópia do histórico escolar. Uma vez dentro do Colégio, ele começou a disparar um revólver calibre 38.

Karoline Verri Alves, de 16 anos, morreu no local. O namorado dela, Luan Augusto, também de 16 anos, foi baleado e levado para o Hospital Universitário de Londrina (PR) em estado gravíssimo, mas não resistiu.

O agressor foi preso em flagrante após ter sido imobilizado por um zelador da própria escola. As equipes da Polícia Militar que prestaram o primeiro atendimento chegaram ao local em cerca de três minutos. Ele foi transferido para Londrina, onde prestou depoimento à Polícia Civil no início da tarde.

Os alunos vítimas dos disparos estariam, segundo testemunhas, em uma aula vaga, jogando tênis de mesa, quando o ataque ocorreu. A Secretaria Estadual de Educação confirmou à reportagem, porém, que os adolescentes estariam em uma aula de Educação Física no momento em que foram atingidos.

De acordo com o pai de Luan, os dois estavam namorando há cerca de um ano. Em entrevista coletiva, o secretário de Estado da segurança pública, Hudson Teixeira afirmou que ainda não havia mais informações a respeito da motivação do crime, e também não há informações oficiais de que o atirador fosse ex-namorado da estudante, como especulado nas redes sociais.

Em nota, a paróquia Santo Antônio manifestou seu pesar pelas mortes de Karoline e Luan, “em particular a Comunidade Católica Nossa Senhora do Divino Amor, no Jardim Primavera”, da qual os pais da adolescente são coordenadores.

“Neste momento de dor, a Paróquia Santo Antônio de Cambé e a Comunidade Nossa Senhora do Divino Amor transmitem os sentimentos e fazem orações pelos familiares das vítimas e à comunidade escolar psicologicamente abalada”, disse a paróquia.

O padre da Paróquia Santo Antônio, Padre Pedro Ramos, onde Karoline Alves atuava como coroinha, falou a repórter do SBT News que no Sábado a jovem Karoline havia feito sua última confissão.

O padre mencionou a repórter que ela havia dito após a confissão: “Estou preparada para o Reino dos Céus.”

O grupo de oração do qual a adolescente participava também manifestou seu pesar nas redes sociais. “Pedimos orações por toda a sua família e pela família do Luan”, disse.

Na missa solene de Corpus Christi, no último dia 8, celebrada no Instituto Nossa Senhora Auxiliadora (INSA), a jovem Karoline entrou, na Procissão da Palavra, com o Lecionário, acompanhada dos pais e dos irmãos.

A arquidiocese de Londrina publicou uma nota de solidariedade aos “familiares, amigos, alunos (as) e professores (as) das vítimas do ataque ao Colégio Helena Kolody”, “pedindo ao Pai o conforto necessário neste momento de dor”.

“Neste dia doloroso, pedimos que a força do Espírito Santo renove em todos o dom da fé unindo-nos aos mártires que entregaram suas vidas por Cristo, entre os quais a jovem estudante de Cambé-PR, seguidora de Jesus Cristo, integrante da comunidade cristã”, disse.

Investigação

O delegado-chefe da Polícia Civil disse já ter ouvido seis pessoas nesta segunda-feira. Outros familiares e profissionais que acompanham o jovem deverão prestar depoimento nos próximos dias.

Ribeiro também afirmou que o autor revelou, durante depoimento, que o ataque à escola ocorreu como forma de retaliação aos episódios de bullying supostamente sofridos por ele no período em que estudou na instituição. O suspeito frequentou o colégio por pelo menos sete anos e saiu em 2014. “O objetivo dele era atacar jovens que tivessem essa faixa etária porque na cabeça dele, ele estaria retaliando aquele sofrimento”, acrescentou.

Pelo menos 16 disparos foram efetuados em direção às vítimas. O ex-aluno foi imobilizado por um professor que havia passado por um treinamento sobre como agir em situações como essa e detido pela Polícia Militar (PM) em seguida. No começo da noite, um outro homem, também de 21 anos, foi preso por suspeita de ajudar a organizar o ataque.

De acordo com o delegado, que se disse surpreso com “inteligência” dele, o ex-aluno “narra os fatos com muita naturalidade e lucidez”, além de “não esconder” as informações sobre o caso.

“Ele alega que não teve tempo de se suicidar porque a arma não disparou. Ele não conseguiu fazer o municiamento da arma. A ideia, segundo ele, era colocar um projétil no tambor da arma e fazer uma roleta russa até que conseguisse ser atingido quando a polícia estivesse chegando.” Ainda de acordo com o delegado, o jovem declarou ter atirado de forma aleatória, sem mirar em pessoas específicas.

NOTA DE PESAR

A Paróquia Santo Antônio de Cambé comunica, com pesar, o falecimento de Luan Augusto da Silva, 16 anos, na madrugada desta terça-feira, 20 de junho de 2023. É a segunda vítima fatal do atentado ao Colégio Estadual Professora Helena Kollody, nesta cidade, ocorrido na manhã da segunda-feira. No local, morreu a jovem Karoline Verri Alves, 17 anos.

O corpo de Luan também será velado no salão paroquial, mas ainda não tem horário definido por conta da doação de órgãos.

Ambos eram namorados e atuavam em grupos de oração e de jovens na Paróquia.

Neste momento de dor, a Paróquia Santo Antônio de Cambé transmite os sentimentos e faz orações pelas almas das vítimas, pelo consolo dos familiares e pela comunidade escolar psicologicamente abalada. Informações sobre o velório e sepultamento serão repassadas no decorrer do dia.

Com informações de ACI Digital e Estadão

0 visualização0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


bottom of page